Mostrando postagens com marcador Beleza. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Beleza. Mostrar todas as postagens

sábado, 24 de junho de 2017

Creme de tratamento Monange - Hidratação Intensiva

O creme de tratamento que usei na minha hidratação recente foi o da Monange, da embalagem rosa. Ele promete hidratação intensiva, mais nutrição. a embalagem informa que ele é condicionador e sem sal, além de conter o "inovador ingrediente Bio Form e extrato de oliva, que aliados à formulação, combatem os quatro sinais de ressecamento dos fios".

O produto promete mais hidratação e selar profundamente a estrutura do fio, melhorando aparência e textura. E tudo isso e três minutos. Que é o tempo de ação indicado na embalagem. Fora que a textura é ótima, viro o creme e ele não cai. O cheiro é normal, não é ruim, enjoativo nada. E promete o que cumpre, preciso dizer!

Eu não sei exatamente qual o valor unitário, mas sei que é bem baratinho. Uns seis golpinhos. Eu não sei porque comprei numa promoção incrível: dois shampoos, um condicionador e esse creme por 22,00. Hahahaha amo promoção assim! 

O que eu quero dizer desse creme é que ele virou meu novo queridinho. Ele é muito bom. Não vou mais deixar de comprar, funcionou bem no meu cabelo e hidratando direitinho, com as técnicas certas, o resultado é visível. E a partir da aplicação, já se nota. Dá para ter cabelo bonito e bem tratado com pouco dinheiro.


Rafaela Valverde

História da flor - Carlos Drummond de Andrade


Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a flor.

Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo destina-se a beber, e flor não é para ser bebida

Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem.

Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava restituí-la no jardim. Nem apelar para o médico de flores. Eu a furtara, eu a via morrer.

Já murcha, e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim onde desabrochara. O porteiro estava atento e repreendeu-me.

– Que ideia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!




Rafaela Valverde

Estava hidratando meu cabelo errado!


Eu estava hidratando meu cabelo errado. Eu estava fazendo tudo muito errado com meu cabelo. Estava sentindo que ele estava constantemente ressecado por mais que eu hidratasse. Vendo um vídeo da Mari Morena sobre os erros cometidos durante a aplicação da máscara no cabelo e descobri ou percebi que eu estava cometendo muitos daqueles erros.

O principal erro foi não separar o cabelo em mechas menores para aplicar o creme, Eu estava basicamente separando o cabelo em duas ou três partes e jogando o creme, enluvando mentirosamente. Rsrsrs Então, já sabe que o resultado não estava sendo nada satisfatório, não é mesmo? Então, eu também estava aplicando a máscara hidratante  com o cabelo encharcado, estava passando do tempo indicado na embalagem e não estava passando condicionador depois de enxaguar.

Pois bem, decidi fazer isso diferente. Sequei um pouco o cabelo antes de aplicar e depois de lavar. Tirei o excesso de água com minha camisa de algodão, aí depois separei mechas bem finas e enluvei bastante. Segui o tempo indicado na embalagem que eram três minutos e enxaguei bem, aplicando depois o condicionador nas pontas e penteando com os dedos por mais ou menos um minuto.

Então, é outro cabelo. Só com essas pequenas mudanças na aplicação das máscara. O cabelo está definido, macio, com aquele aspecto de hidratado que há algum tempo não conseguia. Além do brilho, claro. Gostei bastante disso e não vou deixar mais de fazer essas pequenas coisas. Pequenas, mas que dão muita diferença. Vou deixar de ser relapsa com meu cabelo. Daqui a pouco posto sobre a hidratação que usei. Fiquem ligados!



Rafaela Valverde

terça-feira, 6 de junho de 2017

As pessoas...

E que se dane a dieta, que se dane meu cabelo feio e a espinha cravada na minha testa. Hoje eu não estou interessada no que o espelho tem a me dizer. Não me importo mais se estou gorda, não me importo mais se meu cabelo precisa de hidratação e minha pele se comporta como se eu tivesse doze anos.

Hoje eu não quero mais me importar com o que as pessoas pensam e dizem sobre mim e sobre minha aparência. Eu gosto de ter cabelo curto, essa juba cresce demais e me transforma em escrava dele. Eu gosto de ser gorda, porque eu gosto de comer, beber e fumar. E que se danem minhas veias, meu fígado e meu pulmão. Eles não são meus, porra?

Então, quem vai morrer cedo, de câncer de pulmão e feia? Eu. Então vão procurar lavar umas panelas ao invés de me atazanar. Peguei a tesoura no armário do banheiro e comecei a cortar o cabelo. Sempre o cortei, sozinha em casa. Sempre fui muito independente em relação a mim mesma. O que me fez ficar tão abobalhada me importando com as opiniões alheias?

Talvez tenha sido uma forma de me enturmar, de me encaixar em um determinado grupo. Sabe, as pessoas impõem qualquer ideia idiota sobre nossos corpos e a gente acredita. Que coisa, mulher não pode viver em paz! As pessoas sempre me disseram que eu ficava mais bonita de cabelo comprido, as pessoas sempre me disseram que eu seria mais saudável se fosse magra; as pessoas sempre me disseram que eu seria mais feliz se gastasse rios de dinheiro com depilação e tratamentos de beleza.

As pessoas... Que se danem o que elas acham ou dizem. Eu sou preguiçosa, não gosto de cuidar do cabelo, eu gosto é de comer e por isso sou gorda. Eu gosto de ser eu mesma e por isso eu sou feliz. Pelo fato de me permitir ser eu mesma. Com minhas comidas, meu cabelo curto, meu cigarro e meus pelos.

Então, hoje eu digo, com toda convicção: que se danem as pessoas, que se dane essa porra dessa dieta e que se dane esse cabelo ridículo e mal tratado. Vou continuar sendo eu mesma, com meus noventa quilos e meu cabelo de "machão".



Rafaela Valverde

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O mundo do menino impossível - Jorge de Lima


Fim da tarde, boquinha da noite
com as primeiras estrelas
e os derradeiros sinos.

Entre as estrelas e lá detrás da igreja
surge a lua cheia
para chorar com os poetas.

E vão dormir as duas coisas novas desse mundo:
o sol e os meninos.

Mas ainda vela
o menino impossível
aí do lado
enquanto todas as crianças mansas
dormem
acalentadas
por Mãe-negra Noite.
O menino impossível
que destruiu
os brinquedos perfeitos
que os vovós lhe deram:
o urso de Nürnberg,
o velho barbado jagoeslavo,
as poupées de Paris aux
cheveux crêpes,
o carrinho português
feito de folha-de-flandres,
a caixa de música checoeslovaca,
o polichinelo italiano
made in England,
o trem de ferro de U. S. A.
e o macaco brasileiro
de Buenos Aires
moviendo da cola y la cabeza.

O menino impossível
que destruiu até
os soldados de chumbo de Moscou
e furou os olhos de um Papai Noel,
brinca com sabugos de milho,
caixas vazias,
tacos de pau,
pedrinhas brancas do rio...

“Faz de conta que os sabugos
são bois...”
“Faz de conta...”
“Faz de conta...”
E os sabugos de milho
mugem como bois de verdade...

e os tacos que deveriam ser
soldadinhos de chumbo são
cangaceiros de chapéus de couro...

E as pedrinhas balem!
Coitadinhas das ovelhas mansas
longe das mães
presas nos currais de papelão!

É boquinha da noite
no mundo que o menino impossível
povoou sozinho!

A mamãe cochila.
O papai cabeceia.
O relógio badala.

E vem descendo
uma noite encantada
da lâmpada que expira
lentamente
na parede da sala...

O menino pousa a testa
e sonha dentro da noite quieta
da lâmpada apagada
com o mundo maravilhoso
que ele tirou do nada...

Chô! Chô! Pavão!
Sai de cima do telhado
Deixa o menino dormir
Seu soninho sossegado!





Rafaela Valverde

sábado, 20 de maio de 2017

Minhas pernas peludas



Por que ainda há um choque com pernas femininas com pelos? Por que pelos em homem é atraente e em mulheres é anti-higiênico e masculino? As minhas pernas estão peludas. Tenho poucos pelos e a maior parte deles são loiros, portanto decidi deixá-los. Mas não só por isso. Porque também não vou ficar raspando, agredindo minha pele e gastando horrores com depilação com cera para satisfazer senhor ninguém. Especialmente uma sociedade que não me dá nada, eu que não rale não! 

Meus pelos da perna não me incomodam e gosto de passar a mão em minha perna e senti-los. Me sinto aliviada em não mais ser obrigada a fazer depilação. Eu ODEIO fazer depilação em qualquer parte do meu corpo. Claro que é um passo muito mais difícil deixar de depilar tudo e ainda depilo as axilas e partes íntimas, mas minhas pernas serão peludas, sim! Pelo menos enquanto eu estiver afim de ter pelos. 

Reparo que as pessoas olham minhas pernas e estranham. Por que não estranham homens com pernas depiladas? Já ouvi gente dizer: "deve ser nadador..." Nunca entendi muito bem a relação, mas já ouvi isso rsrsrs. Só porque é homem e só por que eles sim podem fazer o quiserem com seus corpos. Nós é que não podemos ter domínio sobre nosso corpo que vem logo um enxerido comentar, ou olhar, ou fazer uma lei... Para dominar o corpo feminino aparece gente de tudo quanto é inferno!

Para cima de mim, não! Ninguém vai me dizer o que fazer em meu corpo e com meu corpo. E estou pensando seriamente em deixar de tirar a sobrancelha. Fico arrancando os pelos da minha cara desnecessariamente em casa, quando quero algo mais bem feito tenho que pagar no mínimo oito/ dez reais. Homens além de tudo, gastam muito menos para cuidar da aparência. É tudo muito injusto e eu eu estou aqui para quebrar isso, mudar essas regras que só beneficiam os homens. Vai ter pelo, sim! Porque afinal sou um mamífero e meus pelinhos me protegem. Quem não gostar se joga de um pé de alface, ok?



Rafaela Valverde


terça-feira, 2 de maio de 2017

Tirei a tinta preta do cabelo

 Depois de dois anos, finalmente tomei coragem e atitude para tirar a tinta preta do cabelo. Maldita tinta preta. Pintei de preto em março de 2015 para cobrir o vermelho. Fiquei ruiva uns meses e enjoei, além disso meu cabelo estragou muito e desbotava com facilidade, assim decidi mudar radicalmente. Fui morena por dois longos anos e confesso que já não aguentava mais.

Como eu estava há cerca de um mês

Depois de chegar no limite do tédio em ser morena, comecei a pesquisar formas de tirar a tinta preta do cabelo. Esse era o primeiro passo. Mas é um processo bastante agressivo, já que é utilizado descolorante. Fiz aos poucos, a aplicação da mistura de pó descolorante e água oxigenada de 40 volumes. Tudo de farmácia mesmo, mas saibam que o meu cabelo estava bem cuidado antes do processo e segue sendo bem cuidado, com hidratações e nutrições semanais. Se for fazer algo do tipo em casa aconselho que trate muito bem o cabelo antes e tenha certeza que ele realmente vai aguentar. Comprei, na última aplicação, a que realmente abriu meu cabelo, um pó sem amônia, pois já havia sentido que a amônia do pó anterior já havia "amansado" meus cachos, deixando sua estrutura mais "lisa". Perdeu um pouco os cachos, mas recupero aos poucos. Mais uma vez: não estou incentivando que ninguém faça isso em casa. Porque sim, são processos agressivos e que podem dar errado. Faço porque sou doida e faço doidices no meu cabelo desde criança e sei o limite dele. Além de saber como recuperar depois.

Enfim, depois de umas duas aplicações  de descolorante no cabelo todo, ele abriu e o preto praticamente saiu todo. Depois de uns dias, depois de umectações e hidratações  eu comprei a tintura que costumo usar, Loreal Casting Creme Gloss castanho claro,  sem amônia, essa aqui:


E passei por cima do cabelo descolorido. Confesso que fiquei com um pouco de medo de estragar mais meu cabelo, apesar de ser sem amônia e deixei só uns vinte minutos mesmo. Acho que nem chegou a vinte. Mas consegui obter um bom resultado e amei a cor. É um marrom, mel, não sei bem explicar, só sei que gostei. O importante que consegui tirar a tinta preta da minha vida e mudei o visual como sempre gosto de fazer. O resultado é esse:


Essa foto está muito clara porque a luz bateu bem em cima, não sei muito bem se vai dar para ver a cor, mas ao longo do tempo vou postando mais fotos para que vocês vejam como estou agora. É isso, gente. Fiz mais uma loucura e deu certo. Logo, logo passo por aqui trazendo notícias do meu cabelo.



Rafaela Valverde


sexta-feira, 24 de março de 2017

Creme para pentear Salon Line SOS Bomba de Vitaminas


Agora quero falar sobre creme de cabelo. Eu amo comprar cremes novos e compartilhar com vocês a minha vida de cacheada.  Então, há algum tempo que eu não comprava um creme tão bom assim. Esse creme para pentear da Salon Line é muito bom. Cheiroso, com textura e rende. Deixa um brilho incrível  e um volume maravilhoso no meu cabelo. Fora a maciez. Sinceramente, nenhum outro creme deixava meu cabelo assim. Nem o da Seda, que é meu preferido há anos.

O nome do creme é SOS Bomba de vitaminas e explosão de força. Ele promete fortalecimento do cabelo, redução da queda, hidratação, desembaraço e brilho. E cumpre! Ele contém whey protein, vitamina A, óleo de rícino e D- panthenol, ingredientes que promovem nutrição e hidratação aos fios. O whey protein é rico em aminoácidos com forte poder restaurador; a vitamina A auxilia no crescimento saudável  dos fios; o óleo de rícino auxilia no combate a queda por quebra dos fios, fortalecendo -os e o D- panthenol  da força ao cabelo, hidrata e combate o ressecamento. Realmente é um bom creme e o cabelo fica bem hidratado em todos os days afters.

Enfim, o creme cumpre o que promete. Custou 17,90 e tem 500 ml. Ele rende bastante, porque já com uma pequena quantidade ele já dá o efeito esperado. Gostei bastante. Na foto abaixo deixei até o preço para vocês conferirem. Mas eu até já achei mais barato. Virou queridinho agora e sempre vou comprá-lo. Recomendo!






Rafaela Valverde

sexta-feira, 10 de março de 2017

A maçã - Raul Seixas





Essa música é muito especial para mim. Certa ocasião, alguém colocou um fone tocando ela em meu ouvido. E devido ao contexto da época ela me marcou e eu chorei muito. Ainda hoje choro. Hoje estava escutando rádio, no ônibus (!) e tocou ela. Adivinhem? Chorei.


Se eu te amo e tu me amas
E um amor a dois profana
O amor de todos os mortais
Porque quem gosta de maçã
Irá gostar de todas
Porque todas são iguais

Se eu te amo e tu me amas
E outro vem quando tu chamas
Como poderei te condenar
Infinita tua beleza
Como podes ficar presa
Que nem santa no altar

Quando eu te escolhi para morar junto de mim
Eu quis ser tua alma, ter seu corpo, tudo enfim
Mas compreendi que além de dois existem mais
O amor só dura em liberdade
O ciúme é só vaidade
Sofro mas eu vou te libertar
O que é que eu quero se eu te privo
Do que eu mais venero
Que é a beleza de deita




Rafaela Valverde

quarta-feira, 8 de março de 2017

Ser mulher - Silvana Duboc


Ser mulher...
É viver mil vezes em apenas uma vida.
É lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora.
É estar antes do ontem e depois do amanhã.
É desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus atos.

Ser mulher...
É caminhar na dúvida cheia de certezas.
É correr atrás das nuvens num dia de sol.
É alcançar o sol num dia de chuva.

Ser mulher...
É chorar de alegria e muitas vezes sorrir com tristeza.
É acreditar quando ninguém mais acredita.
É cancelar sonhos em prol de terceiros.
É esperar quando ninguém mais espera.

Ser mulher...
É identificar um sorriso triste e uma lágrima falsa.
É ser enganada, e sempre dar mais uma chance.
É cair no fundo do poço, e emergir sem ajuda.

Ser mulher...
É estar em mil lugares de uma só vez.
É fazer mil papeis ao mesmo tempo.
É ser forte e fingir que é frágil...
Pra ter um carinho.

Ser mulher...
É se perder em palavras e depois perceber que se encontrou nelas.
É distribuir emoções que nem sempre são captadas.

Ser mulher...
É comprar, emprestar, alugar, vender sentimentos, mas jamais dever.
É construir castelos na areia, ve-los desmoronados pelas águas.
E ainda assim amá-los.

Ser mulher...
É saber dar o perdão... É tentar recuperar o irrecuperável.
É entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.

Ser mulher...
É estender a mão a quem ainda não pediu.
É doar o que ainda não foi solicitado.

Ser mulher...
É não ter vergonha de chorar por amor.
É saber a hora certa do fim.
É esperar sempre por um recomeço.

Ser mulher...
É ter a arrogância de viver apesar dos dissabores,
das desilusões, das traições e das decepções.

Ser mulher...
É ser mãe dos seus filhos... Dos filhos de outros.
É amá-los igualmente.

Ser mulher...
É ter confiança no amanhã e aceitação pelo ontem.
É desbravar caminhos difíceis em instantes inoportunos.
E fincar a bandeira da conquista.

Ser mulher...
É entender as fases da lua por ter suas próprias fases.
É ser "nova" quando o coração está à espera do amor.
Ser "crescente" quando o coração está se enchendo de amor.
Ser "cheia" quando ele já está transbordando de tanto amor.
E ser "minguante" quando esse amor vai embora.

Ser mulher...
É hospedar dentro de si o sentimento do perdão.
É voltar no tempo todos os dias e viver por poucos instantes.
Coisas que nunca ficarão esquecidas.

Ser mulher...
É cicatrizar feridas de outros e inúmeras vezes deixar.
As suas próprias feridas sangrando.

Ser mulher...
É ser princesa aos 20... Rainha aos 30...
Imperatriz aos 40 e... "Especial" a vida toda.

Ser mulher...
É conseguir encontrar uma flor no deserto.
Água na seca... Labaredas no mar.

Ser mulher...
É chorar calada as dores do mundo e
Em apenas um segundo, já estar sorrindo.
Ser mulher...
É subir degraus e se os tiver que descer não precisar de ajuda.
É tropeçar, cair e voltar a andar.

Ser mulher...
É saber ser super-homem quando o sol nasce.
E virar cinderela quando a noite chega.

Ser mulher...
É ter sido escolhida por Deus para colocar no mundo os homens.

Ser mulher...
É acima de tudo um estado de espírito.
É uma dádiva... É ter dentro de si um tesouro escondido
E ainda assim dividí-lo com o mundo!


Silvana Duboc

Leia mais: https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=80968 © Luso-Poemas





Rafaela Valverde

sexta-feira, 3 de março de 2017

Há de ser - Jorge Vercilo e Milton Nascimento


 Quanta poesia! Essa música é íncrível. Estava ouvindo há pouco e quis compartilhar com vocês, meus leitores. A versão que tenho aqui é com a participação de Milton Nascimento. Que voz! Apreciem essa maravilha que fala sobre um amor sólido e  eterno.


Há de ser bonito, há de ser
Há de ser finito, há de ser
Há de ser sereno, há de ser perene
Há de ser efêmero
Há de ser pecado, há de ser
Há de ser sagrado, há de ser
Há de ser volúvel, há de ser ambíguo
Há de ser altivo

Contruirei nosso ninho
Nas paredes do penhasco
Pra que nenhum paparazzi
Ouse quebrar nosso casco
Nas pedras de uma caverna
Vou deixar a nossa história
Para que o vento do tempo
Não nos apague da memória

Há de ser impune, há de ser
Há de ser insone, há de ser
Há de ser escândalo, há de ser relâmpago
Há de ser ciclone
Há de ser exílio, há de ser
Há de ser retiro, há se ser
Há de ser luxúria, há de ser promessa
Há de ser ternura

Cientistas e arqueólogos
Registrarão indícios
De que uma estranha energia
Paira por nossos vestígios
O sentimento resistirá
Aos tempos como um fóssil
E o mundo então saberá
Que ali viveu o amor mais dócil



Rafaela Valverde

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Às mulheres que se cuidam II


Há alguns dias escrevi um texto falando sobre as mulheres que se cuidam, sobre nós mulheres que nos cuidamos tanto e algumas consequências disso, especialmente para os lucros de grandes empresas e para a péssima saúde do planeta. Pois bem, o texto foi escrito para ter essa continuação que vos fala agora.

Eu me cuido, eu uso maquiagem, apesar de ser muito raro, eu uso hidratante na pele, protetor solar, sabonete, shampoo, condicionador, cremes de cabelo, óleo, esmalte, acetona, etc. O que queria discutir era sobre o excesso de produtos que existem para mulheres, enquanto para os homens quase nada. Parece que só vagina precisa de cuidados!

É isso que nós mulheres precisamos ter em mente. A nossa vagina não fede. Ela tem seu próprio cheiro, além disso, os homens também precisam se cuidar e estar limpinhos e cheirosinhos. Não somente as mulheres. Há também a questão do tanto de lixo que a gente gera com todos esses produtos. É muito lixo, é muito plástico. 

Eu tenho ouvido falar do coletor menstrual, por exemplo. Ele é uma das formas de ter nosso momento feminino sem poluir muito o meio ambiente, sem deixar tanto lixo para nossos netos. Mas eu ainda estou muito pensativa em relação a eles, já que eu não sei se me adaptaria. Não uso nem absorvente interno, não consigo, incomoda demais. Então como usaria um copinho de silicone dentro da minha cavidade vaginal? É meio estranho falar sobre isso aqui no blog, mas é importante que mulheres discutam sobre produtos fabricados para elas. Refletir sobre o porquê de tantos produtos para higiene e beleza feminina. Será mesmo que precisamos tanto assim deles? Ou será que eles precisam de nós?



Rafaela Valverde

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Escuta - Maria da Conceição Paranhos

Eu faço parte do grupo de pesquisa Edição de textos teatrais censurados da área de filologia do ILUFBA. E  estou pesquisando a poeta, cronista, ensaísta e professora da UFBA Maria da Conceição Paranhos. Estou descobrindo alguns poemas dela e deixo esse aqui hoje com vocês.




Ocorre que há uns lapsos na história,
há uns lapsos. Então vêm, videntes,
relatar histórias conhecidas
em noites longas de calor, insônia.
Ouvimos. Pacientemente.
Sob discursos jazem outras vozes.

Necessário cantar.
Animais se aninham ao nosso ânimo,
baixam seu brado à espera da canção.
E os leões de pedra dos portões
deixam rolar os globos que os sustentam.

Falamos línguas obscenas.
Não. Endureceu-se o ouvir.
Indefinidamente?
Afrontar a rija espada dos confrontos,
permitir soluções, se o peito arfa
curvado de rajadas imprudentes.
Se não se deixa a alma nesses lances
em que transidos vagamos dementes,
como afrontar as rugas, decifrar mensagens
(não correm ventos nas paisagens mortas,
largadas ao relento)?

Necessário é amar.
Primeiro e último tormento






Rafaela Valverde

Às mulheres que se cuidam


Não sou das mulheres que fica no espelho procurando rugas e defeitos. Tenho quase 28 anos e fora minha "sedentarice" que me incomoda um pouco,  mais devido a minha falta de ânimo e falta de fôlego ao subir uma escada, não ligo para muita coisa relacionada a aparência e envelhecer. Eu só uso protetor solar na praia e no dia a dia apenas em minhas tatuagens que são expostas. Eu não faço esfoliação, nem uso cremes no rosto, etc.

Não que eu não seja vaidosa ou não me cuide ou que ache perda de tempo. Acho bacana as meninas que se preocupam com essas coisas, mas eu simplesmente não consigo, não quero, não tenho saco. E não tenho tempo. Acordo cinco da manhã para sair antes de seis para estar na aula às sete. Imagina se eu ainda fosse passar protetor solar.

Achei que com o passar dos anos essa minha displicência com essas coisas fosse passar, mas cada ano que fico  mais velha, fico mais preguiçosa. Na verdade há algumas coisas que acho besteira e realmente não sinto necessidade de fazer. Protetor solar eu até acho importante, mas ainda sim sinto preguiça. E é claro que a questão financeira pesa bastante. Protetor solar ainda é caro, ainda não é acessível para todos e eu tenho outras prioridades.

Já repararam como hoje em dia as pessoas andam tão dependentes de coisas assim? Protetor de calcinha, sabonete íntimo, creme para rosto e para as mãos, além do hidratante corporal e esfoliante para os pés... Afff. E ainda tem os hidratantes e redutores de cutículas, óleos fortalecedores para as unhas, adstringente,  desodorante íntimo, primer, cílios postiços e mais trezentas quinquilharias desnecessárias que usamos. 

Já repararam também que a maioria desses produtos são para nós mulheres? Nós movimentamos muito a economia mundial. E ao ver dos empresários  e fabricantes desses produtos nós somos podres e fedorentas também. Precisamos de coisas que os homens não precisam e ainda pagamos mais caro! Esse é o capitalismo que inventa necessidades e a gente adere de forma que parece tão natural que parece que a gente realmente precisa dessa imundície inútil que enche o planeta de lixo, já que a maioria de todos esses produtos são embalados por plástico, que leva 100 anos para se decompor na natureza.

Não estou aqui querendo julgar ninguém, nem mesmo a mim. Estou apenas fazendo uma reflexão acerca de assunto que é tão próximo e ao mesmo tempo tão distante de nossas vidas, já que não nos interessamos muito em discuti-lo. E não interessa aos empresários, publicitários e todos que ganham muito dinheiro com todo esse "cuidado" que temos com nosso corpo.



Rafaela Valverde

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Ativador de cachos Salon Line e Máscara de Hidratação Profunda da Niely

Já tem um tempo que comprei esses produtos, mas a vida está corrida demais. Muitas coisas da faculdade para fazer e com esse calor aqui em Salvador e eu acordando às cinco da manhã, só tenho vontade de dormir. Mas hoje  vim postar produtos capilares bons e baratos para vocês. Vamos lá! O primeiro de hoje é o ativador de cachos intensos da Salon Line. Esse aí ó:



É um creme sem enxágue e promete hidratação intensa. SOS Umidificador: sem frizz, uso diário, filtro UV, reduz o volume. Essas são as promessas do creme e ele até que cumpre bem, a parte do volume até demais, meu cabelo fica meio lambido demais para o meu gosto e o frizz também não senti diminuição, mas como frizz é algo que não me incomoda muito, eu não ligo.

Ele tem  cera de abelha  e óleo de coco, o que traz hidratação e nutrição para os fios. E ele é bem oleoso, mas não fica pesado no cabelo, para mim a melhor parte. Tem um cheiro bem gostosinho, sim porque sou das que compram creme e qualquer coisa para meu cabelo pelo cheiro. O creme ativador de cachos promete ainda "cachinhos definidos" além de brilho e hidratação. Ele é grande, tem 500 ml e custou 16,99 o que é muito bom, pois dura bastante.

Não sei se comprei o creme certo para o meu cabelo, que me parece ser entre 3b e 3c e ele é mais indicado para cabelos crespissísmos e crespos, mais para os tipos a partir do 4. Mas ainda assim estou usando, claro porque não posso jogar fora, e estou gostando. Confesso que no início não gostei muito não. Não definiu como eu gosto e os days aftesr não foram bons. Ainda não tenho muitos bons days afters, porque desmantela rápido os cachos, mas a definição está boa, a hidratação e o brilho também muito bons. No geral, é um bom creme ativador de cachos. Sabendo usar, ele forma os cachos bem definidinhos mesmo. Gostei!

O outro produto, que comprei no mesmo dia que esse creme, é a máscara hidratante da Niely para cachos. Essa aí: 


A máscara hidratante da Niely promete um resultado imediato. Além de hidratação profunda para os cachos. Tem óleo de karité e Max Queratina, que é um exclusivo complexo de tratamento com aminoácidos que promovem sedosidade e resistência aos fios. O óleo de karité promove nutrição aos fios com resultado profissional. Tratamento intensivo, brilho, sedosidade e controle de volume.

Eu adorei essa máscara. Desde o início que usei já notei uma hidratação profunda. Já usei no banho como hidratação rápida e já usei como banho de creme, com um plástico na cabeça. As duas formas são boas de usar. No banho, mesmo rapidinho hidrata bastante. O cabelo fica mais definido, macio, com brilho. Realmente hidrata mesmo. Gostei. Eu não lembro exatamente quanto custou, mas acho que foi 19,99, realmente não tenho certeza, mas é nessa faixa. Espero que  esses produtos continuem bom assim. Gostei mais da máscara que do creme de pentear. Amei!



Rafaela Valverde



segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Sai pra lá com sua gordofobia!!


Ouvi no final do ano passado duas frases gordofóbicas que me deixaram pensando em algumas coisas: as pessoas odeiam os gordos, as pessoas odeiam corpos gordos. Corpos gordos incomodam de uma forma tão absurda. Será que é por que comemos e somos felizes? Eu pelo menos sou feliz comendo tudo o que eu quero e sendo gorda.

Hoje tenho 91 quilos e não me privo de nada. Como normalmente, de tudo. Eu adoro comer, como boa taurina que sou. E é assim que vai ser sempre. Amo meu corpo e hoje consigo me aceitar como eu sou. Uso roupas curtas, cropped mostrando as banhas (rsrsrs) e ando até pensando em colocar um piercing no umbigo. Isso é se aceitar, se amar. Amar o corpo que Deus nos deu. 

Demorei mas aprendi a mar meu corpo. Antigamente fazia dietas e me incomodava com algumas roupas que vestia, mas hoje em dia eu decidi que prefiro ser feliz ao invés de ser magra! E se for para comer e engordar, eu não ligo não. Mas voltando às frases que eu ouvi, elas reforçam estereótipos e comprovam a existência da gordofobia. E isso já está bastante entranhado em nossa sociedade.

"Cropped é para gente magra." e "Como uma mulher com um rosto bonito desse fica com esse corpo?" Essa última frase se refere à cantora Marília Mendonça. Eu fico indignada com essas coisas que escuto muitas vezes dentro de minha própria casa. Eu não me ofendo, claro, mas tem gente que pode se ofender ou pior, ficar triste e deprimido. Isso pode destruir a vida de alguém.

Mas as pessoas não se importam com as outras, não respeitam e só julgam. Julgam as outras pessoas a partir da sua própria visão sem se importar e sem deixar o outro viver em paz e feliz. Ou seja, as pessoas são podres. Mas eu já deixei de me importar com o que falam. Projeto para 2017: comer muita pizza, sorvete, chocolate, etc. E me deixem!



Rafaela Valverde

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Eu, contraditória. Eu, eu mesma.


Eu vivo no mundo da lua às vezes, mas também sei ser esperta. Sou humilde mas também sei dar o fora na modéstia de vez em quando. Sou organizadinha, mas às vezes curto meu quarto bagunçado. A minha bagunça fala muito sobre mim. Não gosto de chuva, mas curto um friozinho. Sou sempre sincera, mas às vezes minto.

Sou preguiçosa, mas cumpro minhas obrigações. Umas vezes desapego, em outras grudo. Posso ser ciumenta ou nem ligar. Às vezes diminuo o passo mas sempre estou com pressa. Em alguns momentos sou corajosa, em outros me pelo de medo. Certos momentos me deixam nervosa, outros não.

Posso explodir ou ser calmaria. Posso ver um filme ou ler um livro. Têm dias que me acho feia, e têm dias que supero qualquer miss. Hoje eu simpatizo com alguém, mas se amanhã observar algum comportamento que me desagrade, posso deixar de gostar. Posso ser amiga de quem todo mundo é inimigo e posso ser inimiga das pessoas mais populares.

Sou das que rebolam e vão até o chão, mas também escuto MPB, rock pauleira e rap. Posso ser os extremos, os opostos. Podem até achar que sou inconstante, mas eu sou eu. Eu sou quem sou. Sem vergonha, sem falsidades, sem desencantamentos ou encantamentos desnecessários. Nada em mim é desnecessário. Tudo em mim compõe o que eu sou. 

Eu sou um vulcão, mas também sou um mar calmo. Paro e agito no mesmo instante. Sou voraz, mas também sei esperar. Sou a rainha das incongruências e paradoxos e ao mesmo tempo, paradoxalmente, sou eu mesma, espontânea e segura. Eu sou assim. Eu sou feliz do jeito que eu sou. Sou a reclamona, que denuncia tudo o que tiver errado. Não aguento ver uma injustiça, ou um alfinete fora do lugar. Sou luz, mas as trevas podem chegar até mim. Sou alegre e triste. E você já descobriu o que é?



Rafaela Valverde

sábado, 17 de dezembro de 2016

Música é magia!


Eu vivo música, eu faço tudo com música. Eu preciso de música. Eu amo música. Música é poesia ritmada. Quando estou estudando, escuto música, quando eu estou fazendo faxina eu escuto música. A arte é a forma mais sublime de ser humano, criar e contemplar arte nos diferencia dos outros seres vivos.

E a música é a mais marcante forma de arte para mim. A poesia está nela e isso me agrada. É claro que eu falo de boas letras, bons arranjos e intérpretes genias. Mas às vezes nem precisa tanto. ás vezes só mesmo o ritmo da música, o som, a voz do artista, ou algo na letra nos toca de uma forma tão profunda que é impossível desgrudar e a gente ouve a música toda hora.

Em alguns casos, uma música nos descreve ou contempla alguma ação nossa, ou ainda nos dá força para não desistir e continuar a lutar. A música faz meu espírito vibrar, a depender da música eu viajo para outras épocas ou prevejo o futuro. Ou ainda posso ter mais positividade ou negatividade no pensamento.

Mas também gosto de músicas tristes, elas são arte. E eu bem sei que quando estamos melancólicos, sofrendo temos um grande potencial criativo. Eu adoro música. E mesmo quando eu estiver velhinha ainda vou adorar. Gosto de vários tipos de músicas, contanto que sejam boas. Música é que nem livro, tem que me agradar logo de cara, tem que passar logo sua mensagem.

Mas a música é poderosa, ela pode fazer milagres. Ela faz dançar, pode ser romântica, pode ser funcional e ser trilha sonora... Pode fazer chorar, pode trazer lembranças e emocionar. Música é mágica. Me sinto grata por existir música no mundo.



Rafaela Valverde


terça-feira, 29 de novembro de 2016

Eu sei (Na mira) ♥


Um dia eu vou estar à toa
E você vai estar na mira
Eu sei que você sabe
Que eu sei que você sabe
Que é difícil de dizer
O meu coração
É um músculo involuntário
E ele pulsa por você
Um dia eu vou estar contigo
E você vai estar na minha

Enquanto eu vou andando o mundo gira
E nos espera numa boa
Eu sei, eu sei,
Eu sei




Rafaela Valverde

sábado, 19 de novembro de 2016

"Porque eu sou feita pro amor da cabeça aos pés" - Textinho inspirado em Rosas de Ana Carolina



Ana Carolina diz "eu sou feita pro amor da cabeça aos pés" em sua música Rosas.  E minhas ideias  coadunam com essa frase, eu penso nessa frase o tempo todo. Eu não sou só feita pro amor eu sou amor. Eu tenho muito amor dentro de mim. E não só amor romântico. Amor, simplesmente amor. Amor ao próximo,  aos amigos, aos animais, à natureza...

Eu sinto meu amor pulsando cada vez mais em meu peito e eu vejo meu amor cada vez mais ser rejeitado, às vezes até por mim mesma. Que não aceito amar, não aceito a bondade que o amor traz, bondade essa que pode nos deixar bestas, bestas até demais. Especialmente eu que amo, que sempre amo, que sou uma cuidadosa inata, que criei uma irmã.

Não sei o que devo fazer com tanto amor daqui pra frente. Talvez dar continuidade à escrita do meu livro, dedicar às minhas gatas e daqui a mais uns anos talvez, adotar uma criança. Eu preciso investir amor em alguma outra coisa, em uma criança, em animais, em quem realmente queira. Ele só não pode ficar todinho aqui dentro de mim, só para mim mesma, sendo desperdiçado. Eu me amo, eu já me amo o suficiente e mais que isso seria exagero. Enfim, "não faço outra coisa do que me doar..." como diria mais uma vez Rosas e Ana Carolina.



Rafaela Valverde




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...